Páginas

16 novembro, 2015

Doenças modernas: o carisma invertido

Temos diariamente quinhentos mil motivos para reclamar: a conta da luz está caríssima, o vizinho da frente fala aos berros com o filho, o elevador quebrou de novo, o dinheiro ainda não entrou na conta, o mercado está um roubo, o 3G não está funcionando!!! Sim, temos motivos de sobra.
E temos, igualmente, uma quantidade variada de pessoas que passam por nós, que vêm até nós, que convivem diariamente conosco, que nos observam, certas delas até desejariam nos conhecer um pouco mais, compartilhar momentos conosco, enfim, é gente o bastante para espantar qualquer solidão, mas… sequer prestamos atenção.
E perdemos muito, deixamos passar muito, desperdiçamos muito.
E por quê? Por que, sem perceber, nessas horas estamos no modo – carisma invertido -, esbravejando, lamentando, olhando para o vazio, para céu, para o chão, para a carteira, para a TV, para o celular, menos para os olhos uns dos outros.
Carisma invertido é uma espécie de acessório que vamos agregando ao longo da vida, especialmente, em alguma épocas mais azedas.
Temos a opção de exalar sorrisos, bom humor, piadas, elogios, abraços, mas, preferimos vociferar discursos intermináveis contra a política atual.
Temos a chance de conquistar mais algumas amizades numa reuniãozinha social, mas, escolhemos fazer o tipo antipático que só fala com quem já conhece e, em último grau, que faz uma cena teatral contando suas vantagens, monologando com seu copo e entediando a todos.
Podemos sair de casa e cumprimentar todas aquelas pessoas que diariamente passam por nós. O zelador, a moça que passeia com três cachorros, o jornaleiro, o vigilante do banco, a mal-humorada da padaria… mas, o que fazemos? Abaixamos a cabeça, fingimos que estamos pegando algo na bolsa, falando no telefone.
Dessa forma, vamos nos transformando pouco a pouco num grupo cada vez maior de pessoas de carisma invertido. A pessoa interessante que mora em nós vai perdendo espaço para o posseiro rabugento, o matador de risadas, o que já sabe tudo e não está a fim de trocar nem aprender com ninguém.
Fica, portanto, uma seleção de dicas para quem quer manter o seu carisma no estado natural, sem inversões ou mutilações:
Não seja mal educado sob nenhuma desculpa;
Não use as crises, quais forem, como escudo para sua falta de assunto;
Não fale mal do que não sabe. Não agrida antes para perguntar depois;
Não use meias palavras quando uma pergunta exigir resposta inteira;
Não retribua um sorriso com indiferença;
Não categorize pessoas;
Não faça tipo, não seja um tipo, não imite um tipo;
Não pense que a paciência alheia é ilimitada;
E, por fim, esforce-se todos os dias para ser aquele tipo de pessoa
que você admiraria pelo carisma!
(Emilia Freire)



14 comentários:

  1. Nossa... muito bom esse texto! Nunca tinha ouvido essa expressão "carisma invertido"... Se pararmos pra pensar, o reclamar não muda nada, não melhora nada, apenas suga nossas energias e nos deixa estressados! O texto é muito bom! Bjks e uma semana repleta de bençãos! Tetê

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo Clau!!!
    Creio que nosso principal propósito aqui na terra é evoluirmos como ser humano...E se quisermos evoluir temos que deixar o que cada um vida como queira. Nós temos o dever de vivermos bem para servirmos como exemplo!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sempre é tempo de melhorar, fazer coisas que são abençoadoras... Sair da reclamação e ser feliz! É, destribuir amor, paz e esperanças...
    O mundo tá carente de gente que viva verdadeiramente...

    Texto excelente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Um texto muito interessante, Clau, e a verdade é que muitos de nós acabamos por cair em alguns dos erros assinalados no texto. A questão está em realmente lutar contra isso...e contra nós próprios, tantas vezes. Libertando-nos do negativismo que nos afecta de vez em quando.
    Boa semana, Clau!
    xx

    ResponderExcluir
  5. MUY INTERESANTE TEXTO, LLENO DE MUCHAS REFLEXIONES.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  6. Olá Clau,

    Ótimo texto. Quantas verdades!
    Urge que mudemos nosso comportamento. Carisma invertido somente afasta as pessoas e a oportunidade de nos humanizarmos e aproveitar nossos momentos de uma maneira mais sadia e gratificante.
    As dicas são perfeitas.

    Feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Uma avalanche de verdades ditas, ou melhor, escritas, pela Emília, Clau. Ótima postagem. Pra refletir. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  8. E quando explodem, mesmo que seja com a gente, podemos deixar a maré descansar e aí sim retorquir a questão com mais sensatez. abração

    ResponderExcluir
  9. Precisamos estar atentos ao que fazemos,e não ficarmos alheios para os acontecidos,sabendo nos defender e colocar em prática a nossa sensatez.
    Lindo texto Clau.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  10. Olá, querida Clau
    Gostei de muitas coisas mas a de fazer tipo ou... é sensacional!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  11. Olá Clau
    Que reflexão maravilhosa, precisamos parar e olhar o outro profundamente. Bjs amiga.

    ResponderExcluir
  12. Adorei o texto, Clau! A expressão "carisma invertido" foi usada com propriedade pela autora. Creio que todos nós nos identificamos, de certa forma, com alguns desses comportamentos (rssss). É preciso que caminhemos mais vigilantes, mais abertos, mais disponíveis... Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Olá Clau!

    Texto excelente que mostra como as pessoas estão cada vez mais distantes de si mesmas e do próximo.
    Pessoalmente, abomino dois tipos de comportamentos: 1) amargura 24 hs e o ego infinito.
    Gosto de pessoas que falam de tudo um pouco; das alegrias e tristezas, das vitórias e perdas, da esperança e incerteza.
    Porque nem tudo são flores. Vivemos em um mundo cada dia mais conturbado e intenso em todos os sentidos. E que também nos reserva boas surpresas e inúmeras oportunidades para sermos felizes.
    Porém, a hipocrisia e o egocentrismo são fatores que distanciam o ser humano da realidade.
    Uma realidade que, por vezes, pode ser ao mesmo tempo doce, salgada, ou no ponto.
    O fato é que há pessoas que amam vê-la somente por um paradigma, não é?

    Linda semana!

    Bjksss

    ResponderExcluir
  14. Viver está entre as artes mais delicadas, mas também das mais belas de serem pintadas...

    ResponderExcluir

Real Time Analytics