Páginas

11 outubro, 2014

A criança que eu fui...


Lembro da infância com saudade de arco-íris. 
Cheiro de merendeira, de boneca moranguinho e de sandália nova, daquelas rosinhas que davam vontade de morder só de sentir o aroma de tutti frutti.
A criança que eu fui guarda cheiro de terra molhada e mato fresco. Gostava do barulho e do gosto de chuva. Sentava próximo a janela pra vê-la cair e corria quando os relâmpagos apertavam. 
Gostava de brincar na rua, pentear e cortar cabelos de bonecas, cantarolar e inventar músicas e histórias. (...)
Não tinha amigos imaginários mas havia um mundo com dinossauros, flores, córregos e aventuras que jurava que existia em algum lugar.  
(...) No parque, soltava sorrisos no autopista e abraços no pai na roda gigante. No final pedia algodão doce e fazia o charme pelo colo, é claro.
Era atrevida e geniosa. 
A criança que eu fui tinha a resposta na ponta da língua e dava trabalho na hora dos porquês... 
Orava nas refeições agradecendo e dizendo o nome de cada alimento que encontrava em seu prato. Mas nem sempre comia 'tudinho'. 
Não foi mimada de vencer pelo chororô ou por pirraça. Mas tinha o pai pra dizer 'pergunte à sua mãe', a mãe pra dizer 'pergunte ao seu pai' e a vó pra dizer 'sim' sem nem antes perguntar se podia fazer algo.
(...) Ralava os joelhos na rua porque gostava de correr. Corria da bola ao jogar queimada e também no vôlei ou futebol. Não gostava de dançar. Preferia o sossego da platéia. 
Tinha bicicleta e patins. Um caderno encapado de azul de bolinhas brancas, um pônei de plástico, um all star cano longo amarelo, uma florzinha que dançava ao sensor de sons, um estojo em formato de piano, e muitos, muitos papéis de carta. 
A criança que eu fui gostava de escrever, de lego e de lápis de cor. Desenhava casas e roupas de bonecas mas cresceu e nem lembrou dessas aptidões pra escolher sua profissão.
Quando cresceu, olhou pro mundo aos avessos e viu o quanto foi privilegiada por, mesmo tendo tudo do mais simples, não lhe faltar nada. Do carinho ao teto. Dos cuidados à educação. Tudo suado e batalhado pelos pais. 
Me encontrei com a criança que eu fui essa semana e perguntei se ela gostaria de estar aqui no mundo em que estou. A resposta foi certeira e negativa. 
Disse que não,  porque lamenta o descaso, o desrespeito, a violência e o medo do tempo presente. 
Prefere morar em cheiros, imagens, sentimentos e memórias. Disse que ficará onde está, resguardada na lembrança e no sonho de um tempo bom, até que suas esperanças e direitos parem de ser tratados como brincadeira...de criança.

(Yohana Sanfer)


17 comentários:

  1. Que lindo!! E pena a criança do passado não querer estar nesse presente tão diferente,não é? Linda criança tu foste! Parabéns para todas as crianças, grandes ou pequenas e especialmente àquela que mora me nós! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá Clau... Texto bonito... Fui uma criança que brincou muito! De ciranda, pulando corda, subindo em árvores..., e usando muito a imaginação...
    Creio que você também foi uma criança bem feliz...
    Precisamos abraçar o desafio de SER COMO CRIANÇA SEMPRE... Vale a pena, é?!
    Um Abração...

    ResponderExcluir
  3. Oi Clau,amei o texto,como é bom lembrar o nosso tempo de criança.
    bjs e um feliz dia da criança.
    Carmen Lúcia

    ResponderExcluir
  4. Oi Clau!!! Texto mais que perfeito e verdadeiro...uma das lembranças que tenho até hoje é o cheiro que o pátio ficava durante o recreio!! Aquela mistura de todos os lanchinhos, sabe? Beijos e um lindo Domingo pra vc!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Clau!
    Seu post me lembrou a infância dos meus filhos... em uma versão masculina, já que só tive meninos... tempo de sapatinhos com cheirinho de chicletes e tênis AllStar de cano longo.
    Esse texto está muito lindo... acho que vou 'garimpá-lo' pro E-Library. Posso?

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  6. Texto muito lindo Clau. Que bom se todas as crs pudessem ter assim boas recordações de sua infância. Infelizmente temos tomado conhecimento pelos noticiários de tanto desrespeito e até tortura a crianças. Lamentável e inaceitável . Que O Senhor proteja todas as crs. !

    ResponderExcluir
  7. E como era bom sermos crianças...
    Belíssimo texto, obrigado pela partilha.
    Tem um bom domingo e uma boa semana, querida amiga Clau.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Lindo Clau, como é bom recordar um tempo tão gostoso. Éramos felizes e nem sabíamos. Quanto coisa vc viveu e de tudo eu tmb vivi um pouquinho. Desejo a vc um domingo lindo e abençoado. VIVA A CRIANÇA QUE TEM DENTRO DE VC. bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Clau! Recordações da infância são deliciosas... tem cheiro de tuti fruti e gosto de algodão doce! Eu já comecei a escrever as minhas umas cinco vezes, mas não persevero em continuar... cada vez que recomeço escrevo mais um pouco e paro. Um dia quem sabe? Hoje me animei a fazê-lo! Feliz Dia das Crianças pra você também! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  10. Querida Clau
    Costumamos dizer que amigos de verdade são os que estão ao seu lado em momentos difíceis...Mas nem todos os amigos estão do nosso lado, como desejamos. Podem está em sintonia com nossos pensamentos e morando em nossos corações . Amigos virtuais são assim, separados por uma telinha, na maioria das vezes de lugares bem distantes, mas próximos de nós , unidos por um sentimento de amizade tão real como os que já nos abraçaram a apertaram a nossa mão. Obrigada amiga por fazer parte da minha vida.
    Grata pela visita e comentários nas minhas postagens, seja sempre bem vinda.
    Abraços, uma noite abençoada e um amanhecer feliz.
    Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir
  11. Olá Clau, ser criança é mesmo uma maravilha.
    Saudade da criança que fui liberta e feliz, cheia de vida e o mundo nos pés.
    Linda homenagem Clau.
    Que a criança que fomos nunca nos abandone.
    Linda semana de paz e luz em seus dias.
    Meu abraço
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Cheiros nos fazem viajar no tempo e ninguém como as crianças para absorvê-los, sabiamente. Lembranças da infância são sempre ricas e assim deveria acontecer com todas, vivendo esse período como o que são, crianças.
    Um lindo texto, que nos remete aos direitos delas, não respeitados. Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Clau, que texto lindo! Maravilhosas recordações, bom seria se a criança de agora pudesse falar o mesmo no seu futuro! Bela homenagem amiga!!Bjs
    Amara

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde querida Clau..
    esta criança vive todo santo dia dentro de nós.. mesmo nós hj na idade adulta. temos o espirito puro de uma criança bjs meus e até sempre

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pela sábia escolha do texto para essa postagem Clau, é de uma riqueza de palavras e sentimentos, amei!

    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Que linda postagem, Clau.
    Imagens e texto de encantar.
    Viajei durante a leitura do texto, relembrando momentos felizes da minha infância. Quem dera as crianças de hoje tivessem uma infância feliz e com os seus sonhos e direitos respeitados!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Recordações de infância é igual sonho bom, a gente fica torcendo para não acabar nunca.

    ResponderExcluir

Real Time Analytics